Por amor ou por besteira?


13/05/2008


Postos de Gasolina, supermercados e a incapacidade de esperar.

Arrisco-me a dizer que TODOS nós temos defeitos. Cada um o seu, em particular. Eu certamente tenho mais de um, mas acho que o mais evidente e o menos suportável seja este: minha incapacidade de esperar.
Nasci de oito meses; Tenho todos os relógios adiantados 5 minutos; Entrego a prova (quase sempre) com a última questão em branco se alguém sai na minha frente e não consigo nem mesmo ME esperar.
Compro presentes uma semana antes do aniversário, aceito o pedido de desculpas antes dele ter sido pedido (raridade).
Pinto o cabelo antes da cor desbotar, como antes de ter fome por que eu SEI que vou ficar com fome e... não suportaria esperar ficar com fome para então comer x.x'
Essa lista é laaaarga e graaande, mas são coisas fúteis e diárias que eu consigo até evitar. Postos de gasolina e supermercados não.
Nada nesse mundo me repele tanto o horror quanto essas duas frases:
- Vamos abastecer o carro.
- Dia de compras!
É algo realmente assustador! E aconteceu comigo ontem.
Estava muito feliz, saindo da minha aula de dança do ventre quando meu pai foi me buscar. Oh, tamanha felicidade! Não precisaria andar até em casa \o/ Mas foi quando ele começou a falar e percebi que era algo importante:
- Coloca o cinto de segurança, filha.
(Levem em consideração que a última vez que ele mandou eu colocar o cinto de segurança, contou-me que as Spice Girls haviam se separado)
- Bem, como foi a aula hoje? *sorriso de campeão no rosto*
- O que é pai? *cara de poucos amigos*
- Você não se importaria de passarmos rapidinho pelo posto, importaria? *cara indefinível*
- Não pai, tudo bem.
Se vocês não entenderam a minha resposta, imagine o meu pai, que viu que desde que eu era apenas um bebê, chorava loucamente até sairmos das bases do posto e/ou supermercado. Pois bem, eu explico: Depois da pergunta do meu pai, pensei tudo muito rapidamente. Em um futuro não muito distante, eu entrarei para a faculdade e terei algum meio de transporte que não seja uma bicileta. Logo, este precisará ser abastecido e... EU terei que abastecê-lo. Foi decidido, ali, que eu enfrentaria esse obstáculo, venceria o medo e ficaria mais de dois minutos em um posto de gasolina. Um frio percorreu todo o meu corpo. Fui.
Meu pai dirigia rápido, tinha medo que eu mudasse de idéia; vez ou outra olhava para o meu rosto que transpirava (não é mentira!) e finalmente entramos na rua do posto de gasolina.
Ao olhar as filas praticamente virarem a esquina, percebi que isso seria mais difícil do que o imaginado.
Haviam então, duas filas 'menores' e decidi que iriamos pela da esquerda pois eu tive uma visão de que seria a mais rápida. Sim, eu errei. Percebi então como a lei de Murphy sempre acerta: A fila ao lado sempre anda mais rápido. O problema foi que fiquei pensando, se a fila ao lado é a que anda mais rápido e a minha filha nunca é 'ao lado', quem seriam os sortudos que ficam nas filas que andam mais rápido? Pois é, pois é.
Se ficaram curiosos, eu não, não fiquei no posto. Peguei um dinheiro e fui tomar um sorvete ali perto e o melhor foi que tirei três lições muito legais de tudo isso:
1) Não sou medium e não tentarei prever o futuro das filas.
2) Não vou mais filosofar sobre as Leis de Murphy.
3) Seguirei minha vida adiando ao máximo enfrentar filas, principalmente em supermercados e postos de gasolina até o ano de 3586.
Eu ia falar sobre como seria tediante quando estiver grávida e tiver que esperar os nove meses da gravidez enquanto meu filho se forma lentamente, mas deixo isso para um próximo poste porque... Po! Ainda tô no ensino médio! Na faculdade eu penso sobre isso.

ps: Minha psicóloga disse que eu preciso aumentar a terapia porque, tenho um grande nervoso de esperar até a quarta-feira para vê-la.
ps.2: Beijos para Luiz, Thaís, Lays e o pessoal que sentia falta dos meus posts no blog *-*

Escrito por Juuh :* às 08h48
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Perfil

Histórico